Cupins Subterrâneos

Cupins Subterrâneos

Esses cupins são popularmente conhecidos como “cupins de solo” ou “cupins de parede”. No ambiente urbano, a espécie que causa mais danos ao homem é a Coptotermes gestroi, também tratada por Coptotermes havilandi por outros autores. Essa espécie é originária da Ásia e foi introduzida no Brasil nas décadas de 20 e 30, provavelmente através da chegada de cargas contaminadas aos portos brasileiros ou por meio de infestações nos próprios navios que aportavam em nosso litoral.

Os cupins operários de Coptotermes gestroi são os indivíduos mais numerosos da colônia e podem viver até 5 anos. Esses indivíduos apresentam coloração creme e são maiores que os soldados, que, por sua vez, atingem aproximadamente 5 mm de comprimento.

Os cupins soldados dessa espécie são caracterizados por suas mandíbulas de pontas finas e recurvadas. Eles possuem coloração alaranjada e são bastante agressivos. Quando ameaçados, expelem uma secreção esbranquiçada a partir de uma glândula da cabeça.

A rainha pode chegar a 2 cm de comprimento e possui o abdômen exageradamente grande, devido ao desenvolvimento do aparelho reprodutor. Ela pode viver até 15 anos e quando morre é substituída por outra reprodutora derivada de uma ninfa. Assim, uma mesma colônia pode permanecer ativa por muito tempo. As colônias de Coptotermes gestroi geralmente são enormes, podendo abrigar até um milhão de indivíduos.

Os ninhos de cupins podem ocorrer em paredes de construção, sem contato direto com o solo, ou podem ser subterrâneos. Eles são formados por uma mistura de fezes, saliva, solo e partículas de madeira.

 

Identificação de um foco de cupins subterrâneos
Para se identificar um foco de cupins subterrâneos, deve-se procurar indícios como:

 

• Túneis de terra, presentes nas paredes das construções;
• Restos de solo e fezes nas peças de madeira infestadas;
• Presença de asas de reprodutores alados;
• Presença de túneis em árvores infestadas em locais próximo à construção;
• Verificação de locais propícios, como vãos estruturais da construção, parede


Controle Contra Cupins

Os cupins são insetos sociais assim como as abelhas e formigas e pertencem a ordem isóptera. No mundo são cadastradas aproximadamente 2500 espécies e no Brasil 500. Alimentam–se de celulose, atacando por esta razão papéis, livros, estruturas de madeira, ou qualquer outro material que contenha este composto (polímero).

Pombos
A grande maioria das espécies é benéfica ao meio ambiente reciclando matéria orgânica, no entanto algumas delas se adaptaram ao meio urbano nos trazendo grandes prejuízos. Das várias espécies de cupins existentes na área urbana, os cupins subterrâneos são os mais destrutivos. Os principais grupos de cupins de importância econômica são os Cupins Subterrâneos e os Cupins de Madeira.